Eu ele e 2 irmãos negros.

Olá. Chamo-me Paula sou casada e tenho 48 anos. Tenho 170 cm de altura, peso 62 kilos e uso soutien nº 38.
Sempre tive curiosidade em estar com mais do que um homem ao mesmo tempo e o meu marido um dia fez-me a vontade. Depois do jantar fomos os dois teclar num chat de encontros. Colocamos um nick que sugeria sermos casal HM. Apareceram várias pessoas no nosso privado e foram fazendo as perguntas do costume. O que procuravamos, como eramos etc. O meu marido foi mandando diversas fotos minhas, algumas bem picantes. Entretanto reparamos que no chat estava um com o nick NegroXXL. Decidimos ir ao privado dele.
As perguntas do costume, donde eramos, o que procuravamos e como eramos. O meu marido mandou uma foto minha toda nua de pe para ele verificar como eu era. Na volta mandou-nos duas fotos dele, uma vestido e outra nu. Fiquei a salivar: já tinha visto coisas daquelas mas só nos filmes.
Segundo ele disse tinha 23 cm e era grosso. A foto assim parecia mas nos chats, ás vezes, há muita treta. Resolvemos arriscar e perguntamos se estava interessado num café para nos conhecermos melhor. Aí respondeu que não era fácil pois estava em casa de um irmão que tinha chegado de angola há poucos dias. Sem imaginar qual seria a reacção, o meu marido disse que se ele quisesse podia trazer o irmão pois em princípio não haveria problema da nossa parte. Curiosamente a resposta foi positiva e assim sendo marcamos o café par aas 22:00 horas num café perto da nossa casa. Despacha-mo-nos e fomos mais cedo para o café. Acabámos por combinar que eles chegariam ás 22e30. À hora marcada eles apareceram. Como eram dois negros percebemos logo que eram os do chat e fizemos sinal. Um aperto de mão ao meu marido e um beijo a mim. Cheiravam bem.
Eram daqueles negros bem escurinhos. O mais velho deveria ter cerca de 170 cm também e era cheiinho. O irmão era mais alto e magro mas ambos com boa aparência. Trocamos uns dedos de conversa trivial e deu para perceber que havia empatia geral. Como a nossa casa era perto do café, fomos a pé os 4. e o mais velho com quem tinhamos estado a teclar no chat ao caminhar ia roçando a mão no meu rabo. Dei-lhe a entender que estava a gostar pois não reagi. Entretanto chegámos a nossa casa e subimos ao 1º andar. No caminho fomos pedindo para serem discretos embora a vizinhança não fosse cusca mas mais valia prevenir.
Entramos em casa e pedimos que ficassem à vontade. O meu marido fez as perguntas da praxe tipo se bebiam alguma coisa. Apenas água. Bom sinal já que não é muito boa ideia ingerir álcool antes de sexo. Entretanto eu sai e fui-me arranjar melhor. Quando regressei à sala estavam a ver um filme porno que o meu marido tinha colocado no DVD. Era um video de gangbang com apenas uma mulher no meio de vários homens. Sentei.me ao lado do meu marido e eles dois do outro lado e ficámos a ver o filme em silêncio. Meia luz deixava ver o ambiente e sentia-se, pela respiração, que o ambiente estava a aquecer. O meu marido meteu então a mão no meio das minhas pernas e mexeu-me na cona. Com esse gesto tive a necessidade de abrir um pouco mais as pernas e acabei por tocar na pena do Nelson. Entretanto o meu marido disse: Paulinha tens a cona já tão molhada e de seguida meteu-me o dedo que tinha estado na cona na minha boca para eu chupar. Vendo isso o Nelson fez menção de me apalpar as mamas. Recostei-me mais no sofá e deixei que ele metesse a mão por dentro da blusa e tocasse no mamilo. Fiquei arrepiada e a minha reacção foi colocar a minha mão na coxa dele. Depois disso ele debruçou-se mais e chupou o mamilo. Aí não resisti e agarrei no caralho dele. Nunca tinha tido aquela sensação. parecia uma barra de ferro grossíssima. Entretanto o irmão, Luís, já tinha desapertado o fecho das calças e o dele já estava de fora. Vendo a minha tesão, o Nelson abriu as calças e tirou o mastro para fora. Até me faltou o ar. Eram mesmo 23 cm bem luzidios. Debrucei-me e não resisti a chupá-lo. Como me debrucei, o meu marido aproveitou e meteu mais uns dedos na minha cona. O Luís não perdeu tempo e agarrou sofregamente as minhas mamas. Num ápice fiquei sem roupa e eles a mesma coisa. Tinha os 3 homens sentados no sofá e eu de joelhos a mamar o Nelson e a bater punheta ao meu marido e ao Luís. Não demorou nem um minuto até que o meu marido se viesse colocar por detrás de mim e começasse a encavar na cona ao mesmo tempo que ia aflorando o olho do cu com um dedo ensalivado. Nesta posição ia mamando o Nelson e o Luís à vez. Foi nessa altura que o meu marido sugeriu que eu me sentasse em cima do Nelson de frente para ele com o caralho todo enfiado na minha cona. Senti um arrepio e fui deslizando devagar para não me magoar. O Luís nem perdeu tempo e colocou-se de pé com o caralho dele junto da minha boca. Era menos que o do Nelson mas metia mesmo assim muito respeito. A posição não era a ideal e o meu marido sugeriu que o Nelson se deitasse no sofá para eu me deitar por cima. O Luís colocou-se junto do braço do sofá e o meu narido não teve com meias medidas. Passou saliva no meu buraquinho e encavou tudo no cu. Loucura. Que excelente dupla penetração e com outro na boca. Nessa altura todos perceberam que queriam provar o meu rabinho. Assim foi. Primeiro foi o Luís a meter. Quase perdi a respiração por momentos pois ele não foi muito meigo. Meio à bruta enterrou tudo e senti uma pontinha de dor. Pedi para parar-mos um pouquinho para me ajeitar melhor.
Entretanto o meu marido afastou a mesinha da sala e foi buscar uns endredons para por no chão. Trocamos as posições. O Luís ficou por baixo eu no meio e o Nelson por cima. O Nelson perguntou se eu deixava meter os dois na cona. Arrisquei e não perdi nada. Foi magnifico. Estivemos ali uns curtos minutos até que o Nelson não resistiu e tirou o membro dele da minha cona e apontou ao cu. Quase chorei pois senti que me iam rasgar. Estivemos nisto uma boa meia hora trocando de posições e já começava a sentir algum cansaço. Eles perceberam e resolveram ejacular todos nas minhas mamas. Foi delicioso. Foi a primeira de várias vezes até hoje em que estivemos em grupo. Mais tarde falarei de outras experiências. Beijos a todos.